Pesquisa nos Estados Unidos sobre a importância da independência de cervejarias artesanais divide opiniões. Veja o resultado

Afinal de contas, o debate em torno da independência de cervejarias artesanais realmente tem importância para os consumidores? Quanto isso é relevante para quem bebe cerveja?

Uma pesquisa da UBS Evidence Lab, empresa global de serviços financeiros a clientes corporativos e institucionais, mostra que os argumentos dos entusiastas de “craft beers” são importantes para a maioria dos consumidores americanos.

De acordo com o estudo, 30% dos entrevistados disseram que a independência é “extremamente importante” em cervejas artesanais, enquanto 25% responderam ser “um pouco importante”.

Já para 45% dos bebedores americanos, a independência não importa na escolha de uma cerveja artesanal. Ou seja, para esta parcela, é irrelevante se uma cerveja artesanal é de propriedade da AB InBev, por exemplo, ou se é de uma cervejaria artesanal independente das gigantes do setor.

A conclusão, portanto, é que a soma de bebedores que atribuem alguma importância à independência das artesanais (55%) é maior dos que não se importam com isso (45%), conforme mostra o gráfico abaixo.

Survey_UBS

No entanto, a interpretação do resultado pelo Business Insider, site de notícias americano que divulgou o estudo da UBS em primeira mão, em 5 de setembro, foi outra. Sob o título “Argumento das cervejas artesanais para não vender é totalmente falho – e é uma ótima notícia para Anheuser-Busch e Heineken”, o artigo assinado por Kate Taylor decreta, na primeira frase:

Apesar da batalha dos adeptos de produção artesanal contra os gigantes da indústria, a maioria dos americanos realmente não se importa com quem faz as cervejas que eles bebem.

Na realidade, é só ver o gráfico para constatar que a pesquisa da UBS prova exatamente o contrário. Para tentar sustentar a argumentação absolutamente díspar com o que os números mostram, a jornalista Kate Taylor chegou a escrever: “Em outras palavras, quase metade dos americanos não se importa se uma marca de cerveja artesanal é adquirida e produzida pela AB InBev (…)”.

Quase a metade? Faltou destacar que a outra metade inteira e mais 5% consideram muito ou um pouco importante a questão de independência das artesanais.

Não importa mesmo?

A Anheuser-Busch InBev está começando a reconhecer que a propriedade da cervejaria é importante. Depois de ter comprado muitas cervejarias artesanais (para ver o gráfico de aquisições nos Estados Unidos, clique aqui), a maior indústria de cerveja do mundo reorganizou sua divisão de cervejarias artesanais (‘High End’) e demitiu 90% da força de vendas.

Ostensivamente, esta ação de redução de custos com pessoal foi considerada inevitável do ponto de vista de gestão após as aquisições, já que a InBev teve de absorver dezenas de vendedores de diferentes cervejarias, que acabaram se tornando redundantes.

ballast-point
Fábrica da Ballast Point, em Daleville (Indiana): um dos ícones do movimento artesanal americano foi adquirido pela Constellation Brands, dona da Corona, por US$ 1 bilhão em novembro de 2015, mas o valor está sendo revisado
Reações

Os adeptos de artesanais independentes querem se distinguir das gigantes do setor de bebidas. Historicamente, os “craft brewers” americanos lutaram unidos para obter distribuição mais abrangente e conseguir que suas cervejas ocupassem espaço nas prateleiras de mercados ou em torneiras de bares e restaurantes. Ganharam mercado e tiveram conquistas frente à política de exclusividade adotada pelas grandes indústrias.

Mas o que era antes um grupo unificado foi se desidratando de dois anos para cá, quando as gigantes do setor começaram uma fase agressiva de aquisições das artesanais.

A reação dos entusiastas das artesanais foi imediata. Bares e restaurantes passaram a remover rótulos de cervejarias adquiridas, festivais excluíram patrocínio e participação de cervejarias que já foram as principais do circuito, e o próprio debate em torno da independência das artesanais ganhou força, inclusive entre consumidores.

A Constellation Brands, por exemplo, recentemente teve que revisar o valor de sua aquisição da Ballast Point após ter constatado tendências negativas em vendas das cervejas da marca, segundo o site de notícias sobre investimentos The Motley Fool.

Há rumores que as reverberações têm sido tais que a AB InBev avalia suspender mais aquisições de cervejarias artesanais. Em vez disso, irá investir no crescimento orgânico do portfólio já montado.

De fato, 45% dos consumidores não se importarem sobre quem faz sua cerveja é uma grande porcentagem, mas não é metade. E concluir que a InBev ou a Heineken podem ignorar o que a maioria dos amantes de cerveja estão dizendo é, no mínimo, uma estratégia perigosa.

Fotos: Getty Images

Referências:

http://www.businessinsider.com/many-american-drinkers-dont-care-about-craft-beer-independence-2017-9

https://www.fool.com/investing/2017/09/21/should-craft-brewers-be-frightened-of-what-this-ne.aspx

https://www.fool.com/investing/2017/05/20/anheuser-busch-inbev-makes-yet-another-craft-beer.aspx

https://www.fool.com/investing/2017/09/17/are-mass-brewers-seeing-a-craft-beer-blowback.aspx

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s