Maconha ganha mercado e é o novo foco das gigantes de cerveja

Os gigantes globais da indústria cervejeira e de bebidas já demonstram que estão se movimentando para avançar em um novo setor extremamente promissor e em franca expansão: a maconha.

Em 6 de novembro, foi anunciado que a Constellation Brands, detentora da Corona e da Ballast Point, passou a ter uma participação de 9,9% do produtor canadense de cannabis medicinal Canopy Growth pelo valor aproximado de US$ 192 milhões. De acordo com a Bolsa de Valores do Toronto, a Canopy tem valor de mercado de 2,2 bilhões de dólares canadenses (cerca de US$ 1,7 bilhão).

Segundo o site de finanças The Motley Fool, uma fonte da Constellation declarou que a companhia não irá vender produtos de maconha até que seja legal fazê-lo em todos os estados dos EUA. Além disso, o CEO da empresa, Rob Sands, disse ao The Wall Street Journal que ele acredita ser “altamente provável” que a maconha seja legalizada nacionalmente nos EUA.

Em comunicado oficial, a Constellation revelou que a aquisição está em linha com o objetivo de manter “foco em seu negócio principal de bebidas alcoólicas”. Ou seja, a companhia está se preparando para oferecer bebidas que levam a cannabis na composição, mas, por enquanto, desconsideram produzir outros itens de maconha.

Atualmente, 29 estados e o Distrito de Columbia nos EUA legalizaram a maconha para fins medicinais, mas apenas 16 destes permitem que indivíduos cultivem maconha em casa por razões médicas. O uso recreacional da cannabis é permitido em oito estados mais o distrito federal americano – Washington DC.

Cannabis beer

Nova onda

Para Chris Burggraeve, ex-diretor de marketing da Anheuser-Busch InBev, o setor de bebidas alcoólicas está de olho no promissor mercado de cannabis legalizada. O executivo deixou de se ocupar com lúpulo e cevada e agora se dedica exclusivamente à erva.

Burggraeve, 52 anos, integra o conselho da GreenRush Group, startup de São Francisco que pretende ser a Amazon da cannabis. Além disso, o mestre em Economia nascido na Bélgica, também é cofundador da Toast, que vende cigarros de maconha já enrolados.

O executivo é um dos muitos empreendedores e investidores vindos do mundo tradicional dos negócios para o mercado de maconha. “É uma das categorias que mais cresce globalmente porque as pessoas querem e não podemos ignorar isso”, disse Burggraeve à Bloomberg.

Segundo pesquisa da Gallup divulgada em outubro, 64% da população dos EUA quer o fim da proibição do governo federal americano à maconha. É a maior parcela desde que a empresa começou a medir a opinião sobre o assunto, em 1969, ano do emblemático festival de música de Woodstock. Na época, só 12% tinham essa posição.

Plantação da Canopy, empresa canadense que tem a Constellation Brands como uma das acionistas

Disputa do consumo

Alguns analistas sugerem que os residentes em estados americanos onde a maconha é legal para consumo estão trocando o gasto recreativo em cerveja pela erva. Esta seria, inclusive, uma razão para a queda de vendas totais de cerveja nestes estados.

Os analistas da Cowen Group, banco de investimentos e assessoria financeira, já divulgaram estudos que demonstram como a maconha legalizada é responsável pelo declínio nos volumes de venda de cerveja. Os dados analisados apontam para uma queda mais acentuada do consumo de cerveja em Washington, Oregon e Colorado, que legalizaram a maconha, na comparação com outras regiões em que a erva é proibida.

O estudo também mostra que em 2016, o negócio de cannabis movimentou cerca de US$ 6 bilhões em vendas anuais. Estima-se que 2026 a erva legal pode se tornar uma indústria de US$ 50 bilhões.

Para Chris Burggraeve, ex-InBev, a maconha pode abalar as grandes cervejarias da mesma forma que o movimento de cerveja artesanal independente tem feito de 20 anos para cá. “As cervejarias artesanais começaram e por muito tempo foram ignoradas pelas indústrias líderes de mercado. Então, o movimento cresceu e disparou. Portanto, não há razão para terem a mesma postura agora”, disse o executivo à Bloomberg.

O exemplo de aquisição de cervejas artesanais ilustra perfeitamente como os gigantes da indústria lidam com ameaças. De 2009 a 2015, as cervejarias artesanais passaram de 10 milhões de barris de cerveja vendidos nos EUA para cerca de 25 milhões de barris. No mesmo período, as vendas de muitas das marcas de cerveja populares dos Estados Unidos, incluindo Budweiser e Bud Light, estavam em declínio.

Reconhecendo um gosto crescente pela cerveja artesanal, empresas globais donas de marcas como Budweiser, Heineken, Sapporo e Corona começaram a comprar cervejarias independentes com seguidores fieis. Veja o mapa de cervejarias artesanais independentes dos EUA controladas por gigantes do setor clicando aqui.

Novas cervejas americanas com maconha

Além do interesse industrial, conheça alguns rótulos recém-lançados por cervejarias artesanais americanas que evidenciam o interesse no mercado de maconha:

– A Dad and Dude’s, de Colorado, vendeu com sucesso de público uma cerveja com infusão de cannabis.

– A Lagunitas, de propriedade da Heineken, lançou no início de 2017 uma cerveja de edição limitada chamada Supercritical, feita com óleos aromáticos da planta de cannabis.

– A Coalition Brewing, de Oregon, também no início do ano, apresentou a IPA Two Flowers, “a primeira cerveja comercialmente produzida com infusão de Canabidiol (CBD)”.

– A Longwing Brewing, de Vermont, fez uma IPA com produção limitada que leva compostos de cannabis.

Referências

https://www.fool.com/investing/2017/11/06/forget-craft-beer-constellation-brands-wants-drink.aspx

https://www.wsj.com/articles/big-brewer-makes-a-play-for-marijuana-beverages-1509300002

http://www.businessinsider.com/constellation-brands-acquires-stake-marijuana-startup-canopy-2017-10

http://www.infomoney.com.br/ambevsa/noticia/7073495/para-executivo-inbev-maconha-nova-cerveja-artesanal

https://lagunitas.com/supercritical

http://www.coalitionbrewing.com/cbdbeer/

Um comentário em “Maconha ganha mercado e é o novo foco das gigantes de cerveja

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s