Meta é chegar em 50 mil plantas de lúpulo brasileiro. Conheça o Mantiqueira

Começou em março de 2018 a terceira colheita anual do lúpulo brasileiro na fazenda Frutopia, em São Bento do Sapucaí (SP), uma descoberta do engenheiro agrônomo Rodrigo Veraldi em parceria com a Baden Baden, cervejaria artesanal de Campos do Jordão (SP) de propriedade da Heineken.

Veraldi começou os experimentos de cultivo de lúpulo em 2005, a partir de mudas criadas em estufa de espécie desconhecida, vindas do Canadá. Do ambiente controlado, transferiu as mudas para o campo em 2009, quando perdeu as plantas com as chuvas. Desistiu e despejou as plantas em uma área de descarte de matéria orgânica na fazenda. Após alguns meses, uma delas cresceu e, para a surpresa do agricultor, aquele lúpulo sobrevivente conseguiu resistir ao rigoroso período de chuvas. A partir de 2011, produziu clones, investiu e o cultivo vingou.

Foi, então, entre 2014 e 2015 que Veraldi começou o cultivo regular de uma espécie de lúpulo genuinamente brasileiro, resistente às intempéries, adaptado ao clima da região montanhosa na divisa entre os estados de São Paulo e Minas Gerais e que pode ser plantado em outras áreas por sofrer mutações. O processo de patente e denominação científica da espécie ainda está em andamento, mas a erva já é popularmente conhecida como lúpulo Mantiqueira, uma referência à região onde ele foi “descoberto” – Serra da Mantiqueira.

“Trata-se de um lúpulo mais rústico, com boas e específicas características sensoriais, como maracujá, lima, jaca, especiarias e notas herbais”, afirma Rodrigo Veraldi. O Mantiqueira tem entre 4,5% e 5% de alfa ácidos, princípios ativos em quantidade suficiente para dar aroma e sabor a cervejas. E, segundo o engenheiro, pode remeter ao Cascade, lúpulo americano com cerca de 6% de alfa ácidos e caracterizado por notas florais, picantes, cítricas e frutadas.

Com capacidade de chegar em 50 mil plantas, a fazenda de Veraldi cultiva atualmente cerca de mil plantas por ano. “O que falta é melhorar o beneficiamento, como secagem e armazenamento, para chegar em um nível de qualidade internacional”, revela.

Além disso, o viveiro da Fazenda Frutopia produziu 10 mil mudas do lúpulo brasileiro que estão sendo cultivadas em outras 11 propriedades nos estados de São Paulo, Minas Gerais e Paraná.

Märzen

O Mantiqueira foi o único lúpulo utilizado na produção da Baden Baden Märzen, uma cerveja lager da escola alemã, lançada no ano passado. Segundo a Heineken, a escolha do estilo foi uma alusão à época da colheita do lúpulo, em março (märzen, em alemão). Agora em 2018, a safra da Fazenda Frutopia de 500 quilos da erva brasileira servirá de insumo para o novo lote da receita sazonal.

O OneBeerPerDay experimentou e catalogou uma garrafa do primeiro lote da Baden Baden Märzen em 10 de julho de 2017. À época, escrevemos: “sabor amargo suave com leve adocicado, malte evidente, floral do lúpulo, notas cítricas discretas”. O resultado foi, sim, uma boa cerveja, equilibrada, com drinkability alto e de qualidade indiscutível.

Mas a escolha do estilo Märzen, com presença marcante do malte e o lúpulo em segundo plano, dificulta sentir mais claramente as notas cítricos e a capacidade de amargor do Mantiqueira. Conforme Veraldi mesmo disse, ainda é preciso melhorar alguns processos para que tenhamos a produção comercial de uma cerveja com caráter evidente do lúpulo, uma IPA com dry hopping de Mantiqueira, por exemplo.

baden marzen

Inovação

As espécies de lúpulo adequadas para a produção de cerveja precisam de temperaturas amenas e grande incidência solar, de nove a até 14 horas por dia. Por isso, se adaptam melhor a países do hemisfério norte, tradicionais produtores do insumo cervejeiro. Há também países com culturas bem sucedidas da erva no hemisfério sul, como Nova Zelândia, Austrália, África do Sul e Argentina.

A iniciativa de sucesso no Brasil, no entanto, é uma novidade animadora para os cervejeiros e consumidores. Um dos insumos mais caros para a produção de cerveja, o lúpulo afeta diretamente o custo para o produtor e, consequentemente, o preço final do produto.

Sendo o Brasil o terceiro maior fabricante de cerveja do mundo, com cerca 14 bilhões de litros anuais, e com 679 cervejarias registradas em 2017, crescimento de 28% em relação ao ano anterior; a possibilidade de ter lúpulo nacional em escala industrial não é apenas uma inovação na engenharia agrônoma, mas também um grande negócio.

1_cenario

*Alexandre Lyra, editor do OneBeerPerDay, visitou a Fazenda Frutopia a convite da Heineken Brasil.

2 comentários em “Meta é chegar em 50 mil plantas de lúpulo brasileiro. Conheça o Mantiqueira

    1. Olá, Edna!
      Recomendo entrar em contato com Rodrigo Veraldi, da Fazenda Frutopia, que pode lhe dar as orientações e até lhe ceder mudas para o plantio de lúpulo. Estou sem os contatos dele aqui, mas pelo Facebook e Instagram é fácil achá-lo e se comunicar com ele. Boa sorte e obrigado pelo contato,
      Alexandre Lyra Bezerra
      Editor do OBPD, sommelier de cerveja, jornalista e RP
      (11) 99265-5036
      contato@onebeerperday.com.br | alebezerra@hotmail.com
      Instagram: http://www.instagram.com/onebeerperday
      Blog: https://onebeerperday.com.br/
      Facebook: https://www.facebook.com/onebeerperday
      Twitter: https://twitter.com/1beerperday

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s